​© 2013 por Luisa Restelli


 

  • Instagram
  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
Psicoterapia Reichiana:
Potencial agressivo e capacidade de posicionamento
Oficina na Semana de Psicologia da Puc-rio
Dia 8 de Novembro de 2017
Horário: 13:00h - 15:00h
Local: Puc-rio, Gávea
Com base na psicoterapia reichiana, o objetivo é discutir e propôr vivências que mobilizem o potencial agressivo necessário para o posicionamento na vida.

Por meio de vivências, conduzimos uma reflexão sobre nossas formas de estar e criar no mundo, fazendo ser ouvida nossa voz, reivindicando o que é nosso por direito e estabelecendo limites necessários. Foi um encontro super potente, resgatando nosso lugar dentro de nós e também na força de união do coletivo!

E ficaram os questionamentos: De que forma você se posiciona em sua vida e no mundo? Você consegue estar no coletivo sem se perder de si ou consegue estar inteiro em si mesmo sem excluir o coletivo? Como está esse equilíbrio? De que forma você tem colocado sua voz no mundo?

Ao final, deixamos com eles um trecho do livro "Escute Zé Ninguém" de Wilhelm Reich, pai da Psicoterapia Corporal, no qual ele conversa com o "zé-ninguém" que existe dentro de cada um de nós. Deixo aqui esse trecho para vocês também aproveitarem:

"Você tem medo de olhar para si mesmo, zé-ninguém, tem medo das críticas e tem medo do poder que lhe está prometido. Que uso irá fazer desse poder? Você não sabe. Tem medo de pensar que você mesmo - o homem que você sente que é - possa um dia ser diferente do que é agora: livre em vez de intimidado, sincero em vez de manipulador, capaz de amar, não como um ladrão no meio da noite, mas em plena luz do dia. Você se despreza, zé-ninguém. Você diz: 'Quem sou eu para ter opinião própria, governar minha vida e achar que o mundo é meu?'
(...)
Tenho medo de você, zé-ninguém, muito medo, porque o futuro da humanidade depende de você. Tenho medo de você porque seu principal objetivo na vida é fugir - de si mesmo. Você está doente, zé-ninguém, muito doente. A culpa não é sua; mas é sua responsabilidade se curar."